Tudo Sobre SEO

Índice do Conteúdo

O que é SEO?

Essa sim é uma sigla que existe há mais de 10 anos e ainda sim é bem pouco conhecida pelos usuários que procuram algo na busca do Google. O SEO (Search Engine Optimization), ou conhecido popularmente como otimização de sites nada mais são do que técnicas ou um passo a passo de algumas pequenas modificações que devem ser realizadas dentro do código fonte seu site para facilitar ao máximo o trabalho do robô de busca do Google no momento em que ele passar para analisar o conteúdo do nosso site.

Entendam que quanto melhor for a semântica de TAGS específicas que mostram ao Google a importância de determinado item melhor ele irá entender o que é mais importante naquela página e consequentemente melhor ira posicionar sua página para determinada palavra-chave ou termo chave.

Essas técnicas que são feitas dentro do site são conhecidas como SEO ON-PAGE ou otimização interna de determinada página, porém hoje em dia o Googlebot está bem mais exigente e esperto e mesmo que você otimize sua pagina 100% de acordo com as normas e TAGS corretas ainda sim terá feito somente 20% de todo trabalho de SEO. Triste, né? Pois é meus amigos sejam muito bem vindos a nova era do SEO!

Hoje em dia não vale mais a pena modificar todo o código e estrutura do seu site para ter um melhor posicionamento nos mecanismos de busca, isso por que como acabamos de dizer acima, todo esse trabalho se muito bem feito, será somente 20% de todo projeto e seu site pode até subir algumas posições no ranking do Google mas ainda sim nunca vai chegar na tão desejada primeira página da busca.

Mas agora você deve estar se perguntando...mas o que são os 80% restantes do projeto que você está enrolando para me falar?

Simples caros amigos. Criação de conteúdo único, útil, e focado em um tópico que realmente se torna viral pelo simples fato de ser útil e único na busca do Google. Mas criar seu conteúdo lindo e maravilhoso não é o bastante, você precisa promover esse conteúdo para o público certo e não para qualquer audiência.

A regra é simples. Depois de publicarmos nosso conteúdo já estrategicamente planejado e focado em um tópico ÚNICO e ÚTIL basta apenas avisarmos outros influenciadores de conteúdo dentro da nossa área de atuação e mostrarmos para eles esse conteúdo. Quando dizemos influenciadores de conteúdo estamos nos referindo a grandes blogs e sites de conteúdo relacionados com nossa área de atuação seja ela qual for.

Esqueça o seu público-alvo! Por que? Simplesmente por que eles não tem referências e as vezes nem mesmo tem um site ou blog dentro da sua área de atuação, dessa forma fica impossível que o seu público-alvo compartilhe seu conteúdo com quem realmente pode compartilhar, e melhor que isso pode gerar backlinks e boas referências ao seu conteúdo.

E não se preocupe com seu público-alvo, isso por que depois que os influenciadores de conteúdo promoverem seu conteúdo esse conteúdo vai ganhar posicionamento rapidamente na busca do Google e também vai ser visto pela sua audiência.

Essa é a nova e única estratégia de link building que realmente funciona no SEO de hoje em dia.

Esqueçam de tudo que já leram sobre SEO, e foquem na criação de pouco conteúdo e percam tempo na promoção desse conteúdo, por que é isso que vai fazer seu site subir rapidamente no ranking do Google.

Marketing de Conteúdo - Como Criar o Conteúdo Perfeito

Nesse exato momento você deve estar pensando..."que legal ele falou que 80% do projeto de SEO é criar um conteúdo lindo e maravilhoso mas não vai ensinar como fazer? Sacanagem né? Fiquem tranquilos que vamos dar uma luz na sua mente para você entender primeiro o que é e, por que o conteúdo direcionado e estrategicamente pesquisado e publicado funciona tão bem.

Primeiro quero deixar claro que são diversos fatores além da escolha correto do tópico, da utilidade do conteúdo e também de toda estrutura da sua página. Aqui nessa pequena introdução somente quero que entenda o essencial para depois em nosso curso de SEO, ( que é gratuito), vamos ensinar tudo em detalhes para você mesmo otimizar seu site, criar seu conteúdo e promover. E isso tudo sem pagar nenhuma agência de SEO para fazer a otimização do seu site.

Vamos lá. Agora quero que prestem muita atenção em duas dicas simples que devem ter em mente antes mesmo de começar a escrever seu conteúdo.

A primeira é : Conteúdo pode ser qualquer coisa e não precisa ser necessariamente um artigo que passa alguma informação ao usuário. Um passo a passo para resolver um problema, um infográfico de algum texto chato e longo que ninguém quer ler, ou qualquer outra coisa que resolva rapidamente a necessidade do usuário naquele momento em que ele estiver procurando o que precisa na sua página. Nessa etapa sua imaginação e criatividade é o limite.

Tenha em mente que as pessoas somente compartilham qualquer tipo de conteúdo por dois motivos. O primeiro é a utilidade. Se você cria um conteúdo único resolvendo problemas das pessoas de forma simples e fácil com certeza seu conteúdo será compartilhado pelo simples fato de você estar ajudando as pessoas sem pedir nada em troca. O segundo motivo é quando seu conteúdo passa emoções positivas ao usuári. Por exemplo, depois de resolver o problema do usuário pergunte a esse usuário como foi a experiência dele no momento em que ele resolveu o problema dele com a solução que você criou. E você pode ir além disso, pergunte a ele sobre o problema dele, do tempo que ele demorou para achar uma solução até encontrar seu artigo. Se importe com seu usuário! Isso muda toda relação entre você e seu leitor ou possível influenciador, que se gostar do modo como foi tratado irá compartilhar seu conteúdo com toda sua audiência.

Entendam esse raciocínio com ênfase nesses dois motivos do por que as pessoas compartilham as coisas, e com isso em mente vamos fazer o curso de SEO!

Se quiserem aprender mais e aprofundar o conhecimento em SEO recomendamos a página do SEOMASTER que explica bem detalhado todos os processos de SEO.

O que é Google?

O que é o Google? Eu resumiria na minha segunda mãe, isso por que tudo que não sei e minha mãe também não sabe eu pergunto ao Google...rs. Essa simples ferramenta de busca criada em 1998 revolucionou a forma como procuramos qualquer coisa na internet. Antigamente passávamos horas na biblioteca pesquisando dezenas de livros para fazermos

algum trabalho para escola, ou quando tínhamos que ir para algum lugar que não sabíamos onde era, e tínhamos que perder uns 10 minutos olhando no Guia de Ruas para entender mais ou menos onde tínhamos que ir...rs.

O Google fez tudo isso mudar. O acesso e rapidez para termos qualquer tipo de informação em questão de segundos é impressionante, ainda mais com a facilidade dos Smartphones que facilitam ainda mais a nossa rotina, pois em qualquer lugar podemos pesquisar o que quisermos e termos a resposta sempre de prontidão. Sendo a marca mais valiosa e poderosa em todo mundo o Google domina 98% do sistema de busca online em todo mundo, deixando os 2% restantes para o sistema BING criado pela Microsoft.

Mas o Google não domina somente o sistema de busca na internet. Com passar dos anos o Google passou a sempre inovar e se reinventar criando recursos surpreendentes com a única intenção que era a de facilitar a vida do usuário que já utilizava a ferramenta diariamente. Dentre as dezenas de serviços que o buscador oferece podemos destacar o GMAIL, GOOGLE +, YOUTUBE, GOOGLE ADWORDS, GOOGLE MAPS e por fim a PLAY STORE.

GMAIL

O GMAIL a grande maioria já conhece pois é o sistema de e-mails mais utilizado no mundo todo, e isso ocorre devido ao fato de ter várias ferramentas que incrementam o serviço de e-mail, além de ser gratuito e oferecer uma caixa postal com 10 gigas de espaço para usar como quiser. E isso tudo sem falar na confiabilidade do servidor da empresa mais poderosa e confiável no mundo, afinal...convenhamos...qual servidor irá colocar o IP do Google na lista de SPAM?

Google +

O Google + ou devidamente conhecido como Google Plus é uma rede social criada pelo buscador para tentar concorrer com o Facebook, porém a ferramenta não teve o retorno esperado, sendo ainda o Facebook a rede social mais utilizada em todo mundo e líder absoluto no quesito de redes sociais.

Mesmo sem a popularidade do Facebook o Google + não desistiu e passou a integrar cada vez mais serviços ao sistema para chamar a atenção dos usuários que só tinham olhos para o Facebook. Criada em 2011 o Google Plus hoje em dia tem aproximadamente 350 milhões de usuários em todo mundo e é integrado com todas ferramentas que o Google fornece. Na verdade a intenção inicial do Google ao criar a plataforma do Google + era justamente criar um espaço onde fosse possível integrar o uso de todas as ferramentas do Google em um só lugar e isso parece estar funcionando muito bem.

Youtube

Eu particularmente resumiria essa ferramenta em um único conceito.

Por que perdi mais de vinte anos estudando em escola particular, acordando cedo para ir a escola, perdia horas na biblioteca para aprender coisas que nunca usei, e poderia usar essas horas para aprender coisas que realmente me interessavam e que podiam mesmo agregar valor ao meu futuro?

A resposta é simples. Por que na época ainda não existia o Youtube...rs.

Eu posso resumir que todo conhecimento que tenho hoje sobre marketing digital, otimização de sites, criação de sites e outras coisas mais técnicas seriam em vão se não existisse o Youtube, isso por que tudo que não sei eu encontro um passo a passo em algum vídeo que me ensina a fazer uma coisa que eu com certeza perderia horas pesquisando em artigos, fóruns na internet, conteúdos de texto, etc. E sabe qual a melhor parte de tudo isso? É tudo de graça! Mas temos que tomar cuidado pois nem todo conteúdo de vídeo encontrado no Youtube pode te ajudar, e muitas vezes pode te ensinar alguma coisa errada. Isso acontece por que o Youtube permite que qualquer usuário que tiver uma conta no Google pode gravar um vídeo amador e postar o que quiser, mesmo sem ter certeza que o que ele está postando está realmente certo! Dessa forma sempre dê uma lida nos comentários logo abaixo do vídeo e também na quantidade de "likes" que o vídeo tem, dessa forma você terá a certeza que irá aprender o conteúdo certo sem passar vergonha na frente dos outros...rs.

Google Adwords

Chegamos a fonte de todo poder do Google, os famosos anúncios dos links patrocinados. O Google Adwords é a fonte de propaganda que movimenta mais dinheiro em todo mundo chegando a faturar em um segundo, ( isso mesmo que estão lendo! um único segundo), faturar mais de U$ 3 mil dólares. Essa conta dá uma renda de aproximadamente de U$ 180.000,00 dólares em apenas um minuto. E detalhe, nem façam a conta da renda mensal pois o valor é exorbitante de alto...rs.

Foi essa lucratividade absurda que em 2016 fez o Google se tornar a empresa mais valiosa do mundo, ultrapassando a Apple. Esse valor está estimado em aproximadamente U$ 500.000 bilhões de dólares.

Esse é motivo que mais de 90% das ferramentas do Google são gratuitas...rs. De certa forma pra que cobrar se já faturam tanto com a venda de anúncios?

Uma pesquisa realizada recentemente afirma que atualmente 70% dos usuários que querem comprar algum produto ou serviço na internet clicam nos links patrocinados ou no Google Shopping, e os 30% restantes clicam em sites que aparecem na busca orgânica do Google. Porém por incrível que pareça na hora de comprar os usuários confiam mais nos resultados orgânicos(SEO). Eles primeiro pesquisam preços pelo link patrocinado mas não tem confiança suficiente para finalizar a compra, ai eles optam por grandes marcas já conhecidas. Isso acontece por que o usuário de hoje em dia já sabe diferenciar o que é um anúncio patrocinado e o que é uma chamada de algum site na busca orgânica, além disso o usuário não compra na hora, ele sempre pesquisa vários sites do mesmo produto, ele lê opiniões de outros usuários que já compraram determinado produto, e essa dúvida vai além disso, sendo que hoje em dia existem muitos vídeos no Youtube que fazem um review,(análise do produto ou serviço) do produto ou serviço onde você antes de comprar terá a certeza de ter 100% da satisfação que vai ter antes mesmo de comprar.

Além dos anúncios de texto que aparecem no topo de busca de qualquer pesquisa no Google temos ainda os anúncios de vídeo no Youtube que também geram uma receita absurda a empresa, porém na prática não costumam trazer um retorno financeiro satisfatório para quem investe. Isso ocorre por que o vídeo de alguma propaganda apenas chama a atenção do usuário e se esse usuário gostar ele vai no Google pesquisar e fazer toda a ficha limpa daquele produto, ou seja o vídeo apenas é uma simples parte do processo de conversão/venda que o usuário realiza antes de comprar, sendo que se você tiver seu site nas primeiras posições da pesquisa do Google não tem o por quê gastar com anúncios no YouTube.

Mas todo esse processo de compra não interessa para o Google pois o mesmo ganha pela quantidade de cliques que determinado anúncio ganha, e não se o usuário vai comprar ou não.

Ainda sim, o melhor investimento que existe para conversão é o trabalho SEO e marketing de conteúdo. Isso por que pelo conteúdo você conquista, surpreende e mais importante de tudo...pelo conteúdo você passa confiança para o usuário, mas isso é tema para outro tópico. Ainda sim vale a pena investir parte do seu investimento nos anúncios de texto do Google Adwords.

Google Maps

Alguém sabe onde está meu Guia de ruas que não uso há mais de 10 anos? kkkkk

Essa sim é outra ferramenta do Google que é muito utilizada em todo mundo para se localizar e encontrar algum endereço que não conhecemos.

Vocês se lembra como perdíamos tempo caçando uma rua nas páginas amarelas ou no Guia Mais? rs...e detalhe que grande parte mesmo seguindo o mapa ainda sim errávamos a danada da rua...

O Google Maps revolucionou o modo como navegamos por ruas em todo mundo. Ele além de indicar exatamente onde estamos ainda passa uma rota completa, passo a passo de como devemos chegar em determinado lugar. Simples e fácil. Além de você poder usar o serviço de GPS online do Google que pode guiar você em tempo real e informar o melhor caminho. Basta apenas baixar o aplicativo do Google Maps no seu celular, informar para onde quer ir e deixar o Google fazer todo trabalho para você.

Fora toda essa facilidade, que tal termos a chance de ver aquela rua em um ângulo de 360º antes mesmo de sairmos de casa para termos a certeza que não vamos errar? Sim! é possível com o maravilhoso Street View que nos mostra isso. Vamos supor que você precisa ir para o centro de São Paulo e quer ir de carro para economizar tempo e quer parar seu carro em algum estacionamento perto do local onde você está indo. Não seria ótimo dar uma olhada antes para ver se próximo ao local onde você está indo tem estacionamento particular?

Para ter essa ferramenta na palma da sua mão você pode acessar tanto pelo aplicativo do Google Maps como também pelo aplicativo do Street View que fornece opções avançadas do local onde você quer ir. Fantástico né?

Google Play Store

E o Google não cansa né? Além de já dominar o sistema de busca pela internet, o sistema de venda online, gerenciamento de localização e mapas podia deixar a fatia de aplicativos para Android para outra empresa né? Só que não...rs

Mesmo sendo uma plataforma lançada depois que a Apple Lançou o IOS ela lidera uma parcela enorme de 80% dos usuários em todo mundo, sendo que foi lançada em 2008 e a Apple lançou o IOS em 2007.

Mas por que tanta gente opta pelo sistema Android e deixa de lado o sistema IOS? A resposta é simples.

O sistema Android, doa a quem doer é muito mais fácil de utilizar e conta com mais de um milhão de aplicativos gratuitos disponibilizados no Google Play Store. Já a Apple gosta de dificultar as coisas e a grande maioria dos aplicativos são pagos e não são tão úteis e versáteis como os aplicativos do sistema Android, e esse é o grande motivo que 80% das pessoas na hora de comprar um celular opta pelo sistema Android.

Veja você mesmo em lojas de aparelhos celulares, mais de 90% dos aparelhos já vem com o sistema Android instalado de fábrica, sem falar com o acesso gratuito a Play Store para baixar o que quiser. Mas algumas aplicações mais específicas são pagas, mas a grande maioria é gratuita.

Como último motivo para sempre optar pelo sistema Android do Google é a facilidade para encontrar aplicativos pagos de forma gratuita...rs...isso mesmo. Se você pesquisar no Google você consegue encontrar aplicações pagas de forma gratuita, mas não estamos incentivando esse tipo de prática. Somente queremos deixar claro que é possível e ainda tem o fator de risco dessa aplicação estragar todo sistema do celular, porém é possível.

Marketing Digital

Se você compra ou alguma vez já comprou, ou procurou algum produto ou serviço via Google você já se deu de frente com esse tão desconhecido tal de marketing digital. Infelizmente as pessoas ainda hoje não vinculam a compra de um celular por alguma loja online, ou simplesmente um clique em algum anúncio quando você está buscando alguma coisa no

Google, ou até mesmo quando você clica em alguma publicação patrocinada dentro do facebook. Tudo isso, mesmo que você não compre nada é o tão pouco conhecido marketing digital.

SEO (Search Engine Optimization)

O trabalho de SEO ou otimização de sites para os mecanismos de busca cresceu mais 60% neste ano de 2017 e o motivo de tudo isso é que os anúncios patrocinados como Google Adwords, Facebook ADS e outros veículos de comunicação passaram a ser um investimento muito alto para o pouco retorno financeiro que rendiam, sendo que há mais ou menos nove anos eram a maior potência de venda dentro do da busca no Google. Dentro dos links patrocinados o custo por clique da grande maioria das palavras-chaves subiu mais de 40% nos últimos cinco anos e o retorno real sobre esse investimento caiu, e muito. Já no Facebook houve uma pequena melhora, mas ainda nos dias de hoje o público que clica em qualquer anúncio dentro do Facebook somente clica de curiosidade e na realidade não compram nada, e isso ocorre por que o usuário que navega no Facebook não está preocupado em comprar nada e sim somente ver postagens de amigos e ter alguns momentos de lazer.

Já o usuário que pesquisa alguma diretamente no Google já tem a intenção de obter mais informações sobre algum assunto e posteriormente e possivelmente comprar alguma coisa, porém a intenção de quem pesquisa algo no Google é totalmente diferente de quem pesquisa algo no Facebook ou em alguma outra rede social. E outra coisa, mesmo que o usuário encontre o que procura dentro da busca do Facebook ou de alguma outra rede social ele ainda sim vai conferir se as informações estão de acordo com as informações que ele achou daquele produto ou serviço no Google.

Infelizmente essa cultura de comprar pelo Facebook ainda está bem remota e na grande maioria das vezes o usuário somente está curioso sobre alguma coisa e quer aprofundar o assunto, mas dificilmente ele irá finalizar a compra. Sem dizer que as conversões (vendas), dentro do Google são 90% maiores do que dentro do Facebook, pois o usuário que vai ao Google já tem uma ideia em mente e de forma subliminar já tem a intenção de comprar.

Como último fator de grande relevância dentro do trabalho de otimização de sites seria o crescimento da confiabilidade que o usuário tem no Google para comprar alguma coisa. Mais de 98% das pessoas fazem pelo menos uma pesquisa dentro do Google diariamente quando precisam de alguma informação, e isso ficou ainda mais ágil com a chegada dos smartphones e a internet móvel que nos permite pesquisar ou comprar qualquer coisa sem precisar esperar chegar em casa e pesquisar no seu computador. Hoje você pesquisa tudo no Google, seja qual for o tema e independente de onde você estiver bastando apenas ter sinal no seu 3G/4G.

Diante de todos esses fatos a procura por agências de marketing digital ou empresas que fazem o trabalho de otimização de sites aumentou muito, e a tendência até 2020, (ou mais) é que SEO conquiste uma parcela de até 90% de todas as ferramentas de marketing digital que existem atualmente, dentre eles os anúncios de vídeo dentro do youtube, anúncios de texto dos links patrocinados e também o Google Shopping.

Essa previsão de tendência na mudança do comportamento do usuário no momento em que pesquisa alguma coisa no Google para comprar é devido ao grande número de fraudes e golpes que infelizmente acontecem na internet constantemente, sendo que grande parte desses golpes são providos pela busca patrocinada devido ao fácil acesso e fácil divulgação, bastando apenas colocar crédito e criar o anúncio. Qualquer pessoa pode criar uma loja virtual, criar um anúncio e investir nos links patrocinados que o site dele estará no topo do Google em questão de minutos.

Já na busca orgânica o site que aparece em primeiro lugar, (abaixo dos quatro anúncios patrocinados) na primeira página da busca foi por que o Google posicionou aquele site por mérito de um excelente marketing de divulgação alinhado a confiabilidade que aquele site tem perante o Google, isso por que o mecanismo de busca do Google não colocaria um site que fosse confiável no topo de seus resultados de busca orgânica.

E a grande sacada é que cada vez mais usuários clicam somente na busca orgânica, pois já sabem que aqueles resultados são confiáveis. Em uma última pesquisa realizada no ano de 2016 comprovou que 72% dos usuários clicam em resultados orgânicos e apenas 28% clicam em anúncios do Google Adwords e no Google Shopping.

E por último e não menos importante... Hoje em dia não se engane achando que o usuário não sabe diferenciar o que são resultados de anúncios patrocinados e o que são resultados de sites na busca orgânica. A grande maioria, (cerca de 80%) já sabe diferenciar o que é busca patrocinada e o que é busca orgânica.

O futuro do marketing digital será o SEO caros amigos, basta agora saber a hora certa para investir, lembrando que otimização de sites é um projeto onde você não terá resultados imediatos, pois os resultados são graduais e vistos com intensidade depois de alguns meses de andamento do projeto, se quiser resultados rápidos ainda sim a melhor alternativa é a busca patrocinada do Google.

Marketing Tradicional VS Marketing Digital

É bem triste admitir, mas o marketing que aprendemos na escola não serve mais para nada nos dias de hoje. Somente funciona na teoria... Os 4ps... Plano de marketing... 5ps... E por aí vai...

Antigamente se você estivesse começando seu novo negócio bastava apenas você criar um simples anúncio nas páginas amarelas e um belo cartão de visita que em poucos meses seu negócio já estava rendendo o que você esperava. Antes apenas uma faixa impressa na rua ou em alguma avenida destacando seu negócio já fazia seu telefone tocar o dia todo, e nessa época as gráficas ganhavam bastante... massss...o Google chegou a acabou com a festa.

Outro fator interessante é que o marketing de antigamente não era tão concorrido como é hoje em dia no marketing digital, isso por que nessa época cada um conseguia seu negócio sem prejudicar o concorrente, mas é claro que existia a concorrência... Sempre existiu, mas não era tão acirrada como nos dias de hoje. Nesse tempo quem fizesse o melhor anúncio gráfico dentro das páginas amarelas, listas telefônicas e jornais era quem tinha maior quantidade de ligações telefônicas ou contatos via e-mail, mas a grande maioria das pessoas preferia ligar para empresa ao invés de enviar um e-mail. Isso ocorria por que nessa época ainda fazíamos questão de ouvir a voz do nosso cliente ou alguém interessado no nosso produto ou serviço, diferente de hoje em dia que enviamos um e-mail, não ligamos para checar se foi recebido e ainda por cima ficamos de braços cruzados esperando algum retorno... Esse é o paradigma nas relações comerciais de hoje em dia. É mais fácil mandar um e-mail ou WhatsApp do que ligar e resolver as coisas. Parece que a grande maioria das pessoas, seja em relações pessoais ou profissionais se tornaram frias e calculistas e parecem que não estão nem aí se o cliente vai comprar ou não, aí depois que o cliente não liga e nem entra em contato essas empresas que nem sequer prestaram um atendimento pessoal e único culpam a crise financeira que o Brasil está passando ou culpam a má administração do governo...

Em meados de 1990, quando os anúncios em jornais, revistas e listas telefônicas eram o auge do marketing de divulgação de qualquer negócio, os anúncios de primeira página ou maiores e com mais cores eram equivalentes a hoje em dia a sites de empresas que estão nos primeiros três lugares do Google, sendo que nessa época não tinha como pesquisar a reputação da empresa no Google em sites como reclameaqui ou outros sites de reclamação. Nessa época tínhamos que simplesmente confiar que aquele anúncio mais colorido e na primeira página do jornal era o melhor serviço ou produto de todos.

Nessa época o Google ainda nem estava com projeto no papel, sendo que somente em setembro de 1998 a empresa foi oficialmente fundada e os primeiros sites de produtos e serviços foram lançados na busca orgânica do Google, sendo que nessa época nem se ouvia falar de links patrocinados ou o tão conhecido Google Adwords. E se você acha que logo que foi criado o Google já existia Facebook está muito enganado, pois essa outra grande potência somente foi fundada em 2004, oito anos após a fundação do Google.

Nessa época a única forma de ficarmos atualizados com notícias, fofocas e outras novidades no mercado eram comprando o jornal do dia ou esperando às oito horas da noite para ver o jornal nacional... Rs. Não existiam esses grandes portais de notícias que existem hoje em dia como G1, UOL notícias e muitos outros mais que atualizam as novidades a cada minuto. É claro que na época não tínhamos disponíveis os avanços tecnológicos que temos nos dias de hoje, como internet super-rápida, o uso constante de smartphones para nos comunicarmos, e muito menos a internet móvel que revolucionou totalmente a forma como a empresa interage com seu cliente e vice e versa. Além de termos a disponibilidade de procurar qualquer informação via Google em qualquer lugar do mundo onde haja uma rede de Wireless ou rede móvel disponível. Em meados de 2000 ainda tínhamos a internet discada no Brasil. A internet de banda larga foi lançada no Brasil em meados de 2004, porém ainda com velocidades bem baixas.

Não podemos negar que se compararmos o marketing de vinte anos atrás vamos jogar no lixo muitos livros que no passado tínhamos que decorar para passar de ano na escola, mas agora se tornaram obsoletos. Isso por que TUDO no marketing mudou. A forma de nos comunicar expor a imagem de qualquer empresa mudou drasticamente, sem falar nas redes sociais que ampliam ainda mais a visibilidade de qualquer tipo de negócio.

Marketing Social

As redes sociais mudaram para sempre o modo como às empresas se comunicam e expõem suas ideias aos seus clientes. Uma empresa nos dias de hoje que não tem uma boa rede de contatos nas redes sociais passa a ser vista como uma empresa não confiável, e pior que isso uma empresa pode ter uma imagem exemplar, fazer postagens interessantíssimas, mas basta uma postagem ou uma frase dita e mal pensada que essa empresa pode falir em questão de minutos. É meus amigos e amigas, ao mesmo tempo em que as redes sociais tem o poder de promover qualquer tipo de negócio, ao mesmo tempo é uma arma carregada e apontada para nossos pés e a qualquer momento podemos atirar sem querer, mas aí já é tarde demais por que em questão de minutos e depois de alguns compartilhamentos sua empresa estará de portas fechadas.

Esse é motivo pelo qual o trabalho de marketing social deve ser muito bem planejado, ao contrário do marketing digital feito para Google, seja em forma de anúncios ou em SEO, o marketing dentro das redes sociais não é para promover seu produto em si e sim somente para vender a ideia do seu produto ou serviço.

Como já dissemos anteriormente mais de 60% das pessoas que navegam pelo Facebook não estão interessadas em comprar nada e essa cultura de comportamento de comprar alguma coisa via Facebook não existe nem nos dias de hoje. O que existe é uma chamada de algumas postagens patrocinadas que as pessoas clicam de curiosas, mas a grande maioria, (80%) está somente curiosa e clica por impulso. Infelizmente facebook ads não funciona e nunca funcionou. Quando as pessoas estão interessadas em comprar algo elas vão diretamente ao Google e compram. Apenas 20% das pessoas compram pelo Facebook, dessa forma não gaste seu dinheiro atoa.

Se você quer ter uma boa imagem e uma boa reputação dentro do Facebook invista em marketing de conteúdo, publicando informações interessantes na sua página, pois é isso que trás novos fãs que curtem sua página e passam a ter seguir. Conteúdo que dizemos aqui não é criar um artigo enorme no seu site e compartilhar no Facebook, isso não é marketing de conteúdo! Entendam que o conteúdo postado no Facebook é completamente diferente do conteúdo lançado no seu site, até pode ser o mesmo tema, mas o marketing social dentro do facebook deve ser mais dinâmico e útil para realmente chamar a atenção do usuário e esse usuário depois disso aí sim ele vai para o seu site ler o artigo relacionado com aquela postagem. A postagem é somente a isca para levar o usuário a curtir e passar a te seguir no Facebook, e posteriormente ir ao seu site se aprofundar mais no assunto se for do interesse dele.

Essa é a melhor e única estratégia que funciona dentro do Facebook! Guardem bem caros amigos... MARKETING DE CONTEÚDO não é anunciar produtos e serviços dentro do Facebook com um link para sua página de produto dentro do seu site, como já disse o Facebook é uma válvula de escape para as pessoas que querem ver o que os amigos estão fazendo ou simplesmente ver alguma postagem que lhes seja agradável e melhore um pouco seu dia, nada mais que isso.

Quer chamar atenção na sua postagem? Publique uma imagem ou um pequeno infográfico na sua página mesmo vinculado seu negócio, e tenha a certeza que se seu conteúdo for útil, engraçado ou realmente ajudar o usuário a resolver qualquer tipo de problema que ele tenha no seu dia a dia, essa postagem se tornará viral em poucas horas e sua página ganhará milhões de curtidas sem você gastar um real dentro do facebook ads. Você até pode promover sua postagem via facebook ads, e isso ajuda bastante, mas somente nos primeiros dias, isso por que depois de alguns dias seu conteúdo se tornará viral pelo simples fato de ser útil e bom, e você já terá uma boa parcela de seguidores.

Porém não adianta publicar qualquer tipo de conteúdo! O tema do seu conteúdo deve ser estrategicamente pesquisado antes mesmo de você criar sua publicação. Existem ferramentas como o Google Trends, (que é uma ferramenta gratuita!), que mostra que tipo de tema está sendo mais buscado na rede em determinado período de tempo, e a partir de um tema certo que a grande maioria está buscando você usa sua criatividade e publica uma postagem junto com uma arte gráfica e uma pequena chamada de texto, e pronto! Você agora está começando a ganhar visibilidade e reputação, e fazendo uma publicação dessas toda semana vocês começam a ganhar cada vez mais seguidores com passar do tempo.

Mas até agora só falamos do Facebook né? Sim. Isso por que as outras redes sociais como Instagram, Twitter e Pinterest estão todas conectadas ao Facebook e dessa forma se sua publicação se tornar viral pode ter certeza que ela também será compartilhada em todas as redes sociais automaticamente, o que te poupa de ficar postando em todas as redes sociais a mesma matéria toda vez que criar uma nova publicação... Rs.

Marketing de Relacionamento

Como já dissemos anteriormente infelizmente à comunicação pessoal entre empresa e cliente fica cada vez mais distante diante dos avanços tecnológicos que nos forçam a sermos cada vez mais fechados quando o assunto é fazer uma ligação telefônica para alguém, ou simplesmente resolver um assunto importante ligando para seu cliente e agendando uma reunião. Parece que nos dias de hoje, depois que inventaram o WhatsApp temos receio e vergonha de pegar o celular e ligar para as pessoas, parece que fica mais fácil enviar um áudio de voz de dez minutos do que fazer uma simples ligação que pode até durar cinco minutos, resolver seu problema e ainda ter um contato pessoal, (nem que seja ouvindo a voz do seu cliente), sabe por que? Por que hoje em dia o fato de você ligar e falar ao vivo com seu cliente é praticamente igual ter um contato pessoal... E esse paradigma maravilhoso foi criado graças à tecnologia e seus avanços, mas ao mesmo tempo afasta toda empatia de uma conversa saudável o que fideliza uma relação de amizade e confiança com seu cliente no trabalho que você está executando, e é essa relação que será crucial para resolver problemas de crise ou de relacionamento profissional no decorrer do processo de prestação de serviços.

Sem o contato pessoal não temos vínculo afetivo com ninguém, e não se esqueçam de que é esse vínculo que pode te fazer ganhar muita credibilidade tanto com seu cliente como também com outras pessoas, isso por que quando dentro de qualquer prestação de serviços você tem um vínculo pessoal você passa confiança e empatia e é justamente essa confiança e empatia que fará seu cliente falar bem de você e da sua prestação de serviços para os clientes dele... E isso se torna um marketing de relacionamento viral pelo simples fato de você ter esse tipo de relacionamento com seu cliente.

Temos que usar a tecnologia a nosso favor, mas sem deixar que isso interfira em pequenos aspectos básicos de qualquer prestação de serviço ou pós venda de algum tipo de produto. Temos que ter esse contato com nosso cliente e até pode ser via WhatsApp, Messenger ou qualquer outro tipo de aplicativo de conversa, mas o contato pessoal é crucial e temos que mantê-lo por mais que a cultura de “ninguém se falar mais” e simplesmente “enviar um zap” seja moda nos dias de hoje. Essa cultura nos afasta cada vez mais do nosso cliente e temos que usar essa nova tecnologia de forma saudável, mas sem perder o contato pessoal.

Marketing de Conteúdo

Por fim, deixamos o melhor para o final!

A lição básica de quem quiser ter sucesso no meio digital, seja nas redes sociais como no Google deve aprender exatamente como funciona o marketing de conteúdo. Hoje em dia existem diversos cursos que falam sobre o assunto e ensinam você a realmente criar um conteúdo de qualidade que se tornará viral em poucas horas, mas tenham em mente que curso nenhum vai fazer milagres por você e deixar você famoso ou rico do dia para a noite. E se você acredita naqueles anúncios do Facebook onde o fulano ganhou mais de um milhão do dia para noite e quer que você pague e compre o curso dele para você aprender e também ganhar um milhão, esqueça meu amigo ou minha amiga. Não existe mágica de ficar rico do dia para noite e muito menos criar uma boa fama no Facebook do nada, e sem falar que esse “fulano” que está te contando um pouco da história dele para te convencer a comprar o curso, se ele realmente tivesse ficado rico não precisaria ficar anunciando no Facebook para vender cursos, certo?

A mágica de encantar com seu conteúdo é realmente se conectar com seu leitor. Quando dizemos conectar não estamos falando de pedir o WhatsApp dele e ficar enviando aquelas imagens de bom dia cheia de gatinhos. Não é nada disso! Tenham em mente que quando tocamos o coração ou algum ponto sensível no emocional daquele usuário, ou quando simplesmente ajudarmos ele a resolver algum tipo de problema com um vídeo de cinco minutos postando alguma solução para algum problema sem pedir nada em troca você conquista esse usuário, e passa a ser uma pessoa interessante para ele, pois ajudou ele a resolver um problema que ele talvez estivesse horas pesquisando no Google alguma solução, mas não estava encontrando nada, e você foi o herói desse usuário.

Ou talvez você criasse um artigo contando um pouco sobre alguma situação ou problema pessoal que você tenha passado quando era mais novo. Pode ser uma leve depressão, ou algum outro problema emocional e você conta em detalhes como foi essa experiência para você, e ainda compartilha coisas que estão no seu íntimo dando dicas e soluções do que você fez para superar aquele tipo de problema. Quando compartilhamos nossas experiências com outras pessoas estamos mostrando que aquele conteúdo que a pessoa está lendo não é só mais um artigo chato e motivacional de algum autor desconhecido, pois estamos mostrando ao usuário que somos uma pessoa real e que também tem problemas como todos ao redor de todo mundo! E é essa troca de experiências que nos torna pessoas reais e humanas num mundo digital onde toda tecnologia só afasta as pessoas umas das outras. No meio digital esse tipo de estratégia de marketing de conteúdo é conhecido como Storytelling e funciona muito bem, pois faz você se conectar mesmo com seu público.

Entendam que só existem duas formas de você criar um conteúdo viral e útil.

A primeira delas é ajudar o usuário a resolver um problema, seja ele qual for. E o melhor você não precisa ser um especialista e resolver 100% do problema, você pode, por exemplo, juntar duas estratégias que algum outro usuário já tenha postado e aperfeiçoar uma nova solução única unificando essas duas alternativas e essa nova “solução” foi criado por você! Entendem como a coisa funciona? O diferente e novo é fascinante e se torna viral rapidamente.

A segunda forma de se criar um conteúdo viral é tocar no emocional do usuário, o que realmente mexe com ele no seu íntimo mais misterioso. E a melhor forma de fazer isso é compartilhar alguma informação que seja sua e contar sua história e suas experiências mais marcantes diante daquele problema que você passou, seja profissional ou pessoal. Ou até melhor, simplesmente depois que você resolver o problema de algum usuário peça para esse usuário contar como ele se sentiu quando viu seu vídeo, como foi à experiência dele ao resolver o problema e até quanto trabalho ele teve pesquisando antes de encontrar sua solução no seu vídeo que você criou.

Entenda que esse usuário já se tornou seu fã e com certeza vai compartilhar a experiência dele, e fazendo isso você cria um marketing de relacionamento fantástico com seu usuário, pois ele vai contar para todo mundo que você resolveu um problema que ele estava há meses procurando uma solução mas não conseguia encontrar, e melhor que isso, você se preocupou com ele pedindo para ele compartilhar o que ele sentiu e como foi a experiência dele sobre esse assunto!

Meus amigos quantas vezes vemos pessoas queridas e nem sequer fazemos questão de perguntar como elas estão, mas perguntar como elas estão de verdade e não simplesmente perguntar por educação? Pouquíssimas vezes. Até mesmo para nossos amigos mais íntimos. Agora imagine mostrarmos interesse numa pessoa que nunca vimos e que essa pessoa está feliz de vida por que você é o herói que resolveu o problema dela? Como você se sentiria? Fantástico né?!

SEO no Google

A grande maioria das pessoas já sabe diferenciar o que é busca orgânica e o que é busca patrocinada, porém ainda existe muito mistério e dúvidas em como funciona o trabalho de SEO dentro da busca orgânica do Google. Por que determinado site está em primeiro lugar e o outro está décimo lugar? Quais fatores são necessários para um site estar sempre nas primeiras três

posições no Google para diversas palavras-chaves relacionadas? E ainda existem aqueles que pensam que trabalhamos para o Google e que temos algum acordo de negócio para colocar o site lá na primeira posição... kkkk. Agora vamos esclarecer todas essas dúvidas!

Google Adwords

A grande maioria das pessoas começou a entender como funciona o sistema de busca do Google por causa dos links patrocinados ou grande conhecido como Google Adwords, isso por que antes de existirem os anúncios nas primeiras posições ninguém sabia como funcionava o mecanismo de posicionamento e de rankings e muito menos o que eram sites patrocinados e sites orgânicos. Para quem investia nos links patrocinados todos os sites que apareciam na primeira página eram anúncios pagos ao Google.

Como passar dos anos o uso dos links patrocinados aumentou mais de 200% e isso deixou a ferramenta a desejar. Ou seja, o investimento não estava mais valendo a pena em relação ao retorno que o cliente tinha, isso por que a concorrência e custo por clique para determinada palavra-chave ficou com um valor exorbitante e fora do comum, fora que o Google Adwords passou a levar em consideração outros quesitos de classificação da busca patrocinada além do custo por clique que o usuário colocava para aquela palavra-chave. Resumindo, não adiantava mais colocar um valor alto de clique para determinada keyword, pois além do custo do clique a página de destino, (o site que o anúncio redirecionava) tinha que ter qualidade e o conteúdo dessa página passou a ser analisado pelo Google para ver se realmente tinha relevância com o anúncio que era exibido.

Por exemplo, se você está procurando uma cadeira de escritório e clica no primeiro resultado dos links patrocinados e depois que você clica aparece um site completamente diferente do que dizia o anúncio. Isso além de atrasar a pesquisa do que o usuário precisa ainda faz com que os anúncios percam credibilidade, pois o anúncio diz uma coisa e o site que o usuário está sendo levado diz outra completamente diferente. Hoje em dia depois que o Google Adwords passou a analisar a página de destino dos anúncios os sites de má qualidade e de Spam nem aparecem mais na busca mesmo pagando um alto custo de lance por clique em campanhas patrocinadas.

Mas como estávamos falando, o custo ficou inviável para muitas empresas que investiam horrores e não tinham o retorno esperado. Diante disso muitas empresas passaram pesquisar novas alternativas de aparecer na primeira página do Google sem pagar nada aos links patrocinados, e foi a partir daí que o trabalho de otimização de sites começou a ter uma procura em larga escala e essa procura aumenta mês a mês, sendo que a tendência é que o trabalho de SEO juntamente com o marketing de conteúdo se tornem as ferramentas mais poderosas para quem quiser aparecer sempre nas primeiras posições do Google sem pagar nem sequer um real ao Google Adwords nos próximos vinte anos.

Outro fator interessante que vem ocorrendo nos últimos anos é que a grande maioria dos usuários que pesquisam alguma coisa no Google não está mais clicando nos anúncios patrocinados. Isso acontece, pois o usuário passou a entender um pouco sobre como funciona o posicionamento na busca orgânica e dessa forma passa a ter mais confiança nos sites que o Google exibe nas primeiras posições na página de pesquisa. E mais que isso, os anúncios do Google Adwords perdem mais e mais credibilidade dia após dia, isso por que as pessoas que investem estão cansadas de verem centenas de cliques diáriamente no painel de controle do Adwords e não ter não verem seu telefone tocar nem por uma vez ao dia, nem por engano... rs.

Será mesmo que o usuário clicou no anúncio? Será mesmo que os links patrocinados são 100% confiáveis no quesito de mostrar ao usuário que está investindo a realidade dos cliques? Quem fiscaliza isso? Enfim, são questões como essas que infelizmente fazem o usuário a desistir ou reduzir o custo de investimento na busca patrocinada e começar a procurar agências de marketing digital para começarem a entender e investir na busca orgânica com o trabalho de SEO.

Hoje em dia muitas pessoas já sabem o que é SEO e tem uma breve ideia de como funciona, mesmo sem entender a parte técnica. Mas isso não importa para o cliente, pois ele já sabe que na busca orgânica aparecem os sites mais importantes e relevantes ao Google e que aqueles sites não estão pagando por clique para aparecerem ali. Eles estão aqui pelo mérito do marketing feito no site e pela relevância, autoridade e confiança que eles têm perante ao Google.

E outra, vamos esclarecer uma coisa de uma vez por todas. Quem o faz a otimização do site para a busca orgânica não tem nada a ver com o Google e nem trabalhamos para o Google. Até costumamos brincar aqui na agência que na verdade o Google trabalha pra gente, pois se não fosse por ele não teríamos tantos projetos... rs. Na grande realidade se for feito um trabalho de otimização de qualidade no SEO do seu site, atrelado com um marketing de conteúdo viral não tem como o Google não classificar seu site e colocar nas primeiras posições, isso por que quando o conteúdo é útil, estratégico e bom a coisa roda de forma automática.

Na verdade, nós que somos uma agência de SEO já investimos muito na busca patrocinada e realmente tínhamos algum retorno, mas nos últimos dez anos reduzimos 90% do investimento e passamos a colocar todo investimento no marketing de conteúdo e investir mais ainda na qualidade do conteúdo que postamos. Esse sim é o melhor marketing de existe nos dias de hoje! Dessa forma, fica a dica.

Como Encontrar meu Site no Google

Grande parte das pessoas e empresas que contratam o serviço de SEO de alguma empresa ou agência de marketing não consegue encontrar seu site quando essa empresa informa o posicionamento na pesquisa do Google, isso por que o tipo de pesquisa é mostrado de diversas formas de acordo com o perfil de usuário, localização geográfica e sites relacionados que esse usuário acessa com mais frequência. Mas, como assim?

Vamos colocar isso de uma maneira mais simples. Quando você está conectado em alguma conta do Google, sua, da empresa ou de qualquer pessoa, o Google grava todos os sites que você mais acessa diariamente. Vamos supor que quando a empresa que você contratou para fazer o SEO do seu site te falou que seu site estava na terceira página de pesquisa do Google para a palavra-chave “X”, e você foi logo pesquisar para ver se estava mesmo e clicou no resultado. Agora vamos supor que você faça isso todos os dias para aquela mesma palavra-chave, o mecanismo de busca do Google automaticamente vai colocar seu site na primeira página da pesquisa e muitas vezes em primeiro lugar. Por quê? Por que o Google entende que aquele site que estava na terceira página, (ou melhor, ainda está na realidade), é importante para você. Dessa forma ele facilita sua vida colocando esse site bastante acessado logo na primeira página da pesquisa.

Ai você vê isso e conta pra todo mundo que seu site está em primeiro lugar para a keyword “X”, mas na realidade não está. Aquela página de pesquisa apenas é mostrada de acordo com o seu perfil e quais sites você mais acessa. Entenda que o Google quer facilitar sua vida mostrando logo de cara o que você mais acessa no seu dia a dia, mas isso não quer dizer que seu site está na primeira página da pesquisa.

E outro detalhe é que se você estiver com a ferramenta de localização do Google ativada sua pesquisa vai te mostrar resultados próximos a sua localização, e isso bagunça mais ainda todo real posicionamento das suas palavras-chave.

Quer ter a certeza qual o real posicionamento das suas palavras-chaves? Para isso existem duas formas, uma mais simples e uma mais demorada, porém ambas funcionam perfeitamente.

A primeira delas é acessar essa ferramenta da SERPS.COM, que na nossa sincera opinião é a melhor e mais confiável. Assim que acessar a ferramenta apenas preencha os campos corretamente e você verá o real ranking da sua keyword.

A segunda forma de verificar o posicionamento é acessando uma aba oculta ou privada no seu navegador. O navegador mais utilizado é o Chrome, dessa forma vamos ensinar como abrir essa aba usando o navegador Chrome, mas antes de abrir essa aba primeiro dê um loggout,(saia da sua conta do Google) antes de iniciar esse processo senão você pode ter divergências no posicionamento.

Vamos lá! Com seu Chrome aberto na página de pesquisa do Google apenas digite: Ctrl + Shift + N.

Fazendo isso vai abrir automaticamente uma tela preta do seu navegador dizendo que você está em uma navegação privada. Para maiores dúvidas ou outros sistemas operacionais acesse esse link.

Quando você estiver no modo privado apenas digite novamente sua palavra-chave e passe página por página de pesquisa até encontrar seu site. Demora um pouco dependendo do posicionamento da sua palavra-chave, mas dessa forma você vê o real ranking do seu site para determinada palavra-chave.

Agora que você já sabe como ver o real posicionamento do seu site nas pesquisas do Google vê se não deixa nenhuma empresa de marketing por ai enganar vocês... Infelizmente nem todas as empresas jogam limpo com seus clientes e acabam enrolando o cliente meses e meses dizendo que o site está na primeira página, porém o cliente não recebe um contato via Google. Aí complica né? Dessa forma prestem atenção por que agora ninguém enrola mais vocês!

Caso queiram aprender mais a fazer pesquisas avançadas no Google usando suas palavras-chaves veja essa postagem bem interessante que mostra em detalhes como ficar craque e fazer pesquisas refinadas no Google.

Técnicas de SEO

A grande maioria das agências de marketing digital ou outras empresas que vendem os famosos cursos de SEO daquele tipo: ”Fique rico no Google em 15 minutos fazendo nosso curso...”, ou “aprenda agora técnicas de SEO inovadoras que farão seu site chegar à primeira página do Google em uma semana”. Enfim, todos ensinam a mesma técnica de SEO que é

ensinada nos últimos quinze anos. Nada muda nesses cursos, mas só tem um detalhe, o Google mudou e muito nos últimos quinze anos e por que as estratégias que são ensinadas continuam sendo sempre as mesmas?

Aqui vamos ensinar dicas práticas e simples, e melhor que isso. São técnicas que vocês não vão encontrar em lugar nenhum por ai. E quer saber do melhor? Você não precisa ter conhecimento nenhum em HTML ou mexer no código fonte do seu site por que as técnicas que serão ensinadas são feitas diretamente no seu conteúdo da página e não no código fonte.

Antes de começar queremos deixar uma coisa bem clara. Não existe receita de bolo pronta para colocar seu site na primeira posição do Google. Como dissemos acima vários sites inventam esses cursos milagrosos de SEO prometendo tudo e mais um pouco e no final você percebe que só gastou dinheiro.

Mas por que esses cursos de SEO não funcionam? Por que eles ensinam a mesma coisa que eu aprendi há quase dez anos atrás. Só por isso. E entenda uma coisa, o que eles ensinam não está errado. Mas o que acontece é que o que você aprende é apenas 20% de todo trabalho de SEO que você vai ter para colocar seu site em boas posições na busca do Google. Mas e os outros 80%? Eis a grande sacada meus amigos e amigas...os 80% está na promoção do seu conteúdo, o que vamos ensinar no nosso curso de SEO, se quiser fazer clica ai...

Mas sem mais delongas... Borá lá.

O Título da Página Vem Primeiro

Para quem não sabe, o título da página é o fator de SEO ONPAGE mais importante de qualquer página, depois conteúdo, né? Claro. Por que de nada adianta ter um TITLE mega otimizado e seu conteúdo ser uma porcaria... Rs. Se seu título atrelado com seu conteúdo forem bons pode te garantir a terceira ou quarta página de busca se bem otimizado e sem precisar de backlink nenhum apontando para sua página. O título é famoso TITLE e nos dias de hoje ainda é importante para o SEO tendo um valor de até 10% da página se bem posicionado, porém se estiver mal posicionado, tipo no meio do seu título ou às vezes até no final pode não surtir o mesmo impacto junto ao robô de busca do Google para melhor classificar seu site.

Nessa etapa não invente moda e muito menos coloque um monte de palavras-chaves no seu título. Seja simples e direto com a principal keyword que você quer que sua página apareça no Google. Comece a frase com essa palavra-chave e depois você pode completar com alguma outra frase de chamada do seu artigo ou postagem. Só mais uma dica! E vamos repetir para você não esquecer! Não encha seu título com diversas palavras-chaves, basta apenas colocar uma única palavra no começo e depois completar com sua chamada para o conteúdo. Esse negócio de encher seu título com palavras-chaves similares além de não ajudar em nada seu site pode perder mais posicionamento ainda caso seja punido pelo Google, e às vezes sumir e nunca mais aparecer no resultado de busca para nenhuma palavra-chave! É isso mesmo, dessa forma joguem limpo com o robozinho do Google e não abusem da sua paciência por que se ele entender que seu título está focando em várias keywords com o intuito de manipular os resultados você pode perder muito mais do que imagina.

Foque no simples e se preocupe com seu conteúdo, ok? Como já dissemos o título não terá relevância alguma se seu conteúdo não for bom e tiver correlação com seu título.

Mas tenha em mente uma coisa bem importante, de nada vai adiantar ter um conteúdo maravilhoso com um título bem otimizado se sua chamada de ação não for boa e muito menos criativa. Agora você se pergunta, “como assim chamada de ação”? Vamos dar uma breve explicação, mas como já dissemos façam nosso curso de SEO para terem acesso a todas as informações é gratuito viu seu pão duro... kkkkkkk

Então uma chamada de ação é a principal manchete do seu jornal ou a Headline principal.

É o que faz o usuário clicar no terceiro resultado da busca e nem sequer olhar para o quem está em primeiro lugar. Isso é importantíssimo e quanto mais criativo e prático você for ao transmitir sua mensagem ao usuário maiores serão as chances dele clicar no seu site. Mas como criar uma chamada de ação que realmente chame a atenção do usuário e faça-o clicar no meu site?

Simples. Daremos um exemplo prático que você nunca mais vai esquecer, mas antes queremos que você entenda o perfil do usuário que pesquisa alguma coisa no Google nos dias de hoje. O usuário de hoje em dia não tem paciência para ficar procurando nada na busca do Google, e mais de 90% dos usuários nem olham até o oitavo ou décimo resultado da primeira página do Google. Eles olham rapidamente nos três primeiros resultados e se não acharem o que estão procurando eles olham no máximo até o quinto ou sexto site. É isso meus amigos... Com esse exemplo vocês já podem perceber que muitas vezes não adianta nada estar na primeira página da busca se seu site estiver em quinto ou sexto lugar, pois mais de 90% dos usuários nem vão ver seu site lá. Mas... Temos a solução ideal para o seu site se destacar entre os dez primeiros sites e ter mais acessos que o a primeira posição do Google! Basta criar uma chamada de ação que faça o usuário bater os olhos e automaticamente clicar no seu site independentemente da posição que ele estiver na primeira página da pesquisa.

Mas aí você se pergunta, e aquela história de que o site que está em primeiro sempre terá mais acessos? Nem sempre isso é 100% verdade nos dias de hoje. Temos que além de estar na primeira página criarmos uma ótima “capa para nosso livro”.

Essa é mais uma lição do antigo SEO caros amigos, pois de nada adianta estar na primeira posição se seu título não chamar a atenção do usuário.

Vamos supor que você tem uma empresa de otimização de sites ou uma agência de marketing, tanto faz. Sendo assim seu título de primeira página seria “Agencia X – SEO e Marketing Digital”. Estamos supondo o que você poderia fazer.

Agora eu pergunto: Esse título cria qual expectativa no usuário para que ele entre no seu site? Mesmo que seu site esteja em primeiro lugar no Google. Desculpem-me a sinceridade, mas esse título somente está informando o que a empresa faz junto com duas palavras-chaves de alto índice de tráfego de pesquisa, (SEO e Marketing Digital), fora isso não chama atenção em nada.

Agora vamos supor que outra agência de marketing digital tem a seguinte TITLE : “Agencia Y – Seu Site Em Primeiro no Google em 30 dias”

Qual seria o melhor título para sua página?

Claro que o título da segunda empresa! Por que essa chamada de ação puxa a atenção do usuário e melhor que isso, antes mesmo que esse usuário acesse seu site você já passa uma impressão de curiosidade e já dá para esse possível visitante uma das melhores vantagens da sua prestação de serviço. Tudo isso antes mesmo dele acessar o site.

E ainda se quiser pode melhorar ainda mais seu título complementando essas informações na sua Tag Description, dizendo mais ou menos assim: “Seu site na primeira página do Google em trinta dias ou 100% do seu investimento de volta se não estiver na primeira página da busca em trinta dias”.

Entendem agora o que é uma chamada de ação? É isso, mas claro meu amigos. Não vale mentir no título somente para gerar acessos, isso por que o usuário vai acessar e ver que o site não tinha nada a ver com o que seu título dizia, e consequentemente vai deixar o site rapidamente. Essa informação de quanto tempo o usuário fica no seu site e quantas páginas ele acessa também é um fator muito importante de rankings no Google, dessa forma recomendamos não mentir no título só para gerar tráfego. Beleza?.

O Nome da Página ( URL )

Outra regra de ouro é que o nome da sua página, ou URL será exatamente a palavra-chave principal que você está otimizando sua página e a mesma palavra-chave que você colocou em primeiro no seu TITLE. Somente essa única palavra, e novamente focamos para não inventar moda e encher o nome da página de palavras-chave.

Vamos supor que sua agência de marketing oferece serviços de SEO, e nessa página que irá descrever esse serviço você deverá colocar o nome da página como SEO, e não pense que se você colocar o nome como “seo-otimizacao-sites” vai ser melhor, por que não é! Sabe por quê? Por que você passa a impressão ao Googlebot que está focando a otimização da sua página em duas palavras-chaves e isso não é bom para SEO.

Mas aí você se pergunta: Mas as duas keywords tem o mesmo significado, por que não posso colocar as duas?

Novamente vamos falar, não coloque duas palavras-chaves junto na mesma URL! Se tiver duas importantes escolha a que tiver um tráfego mensal maior, e para isso você pode usar a ferramenta de palavras-chaves do Google, mas de forma alguma coloque as duas juntas na mesma URL.

Mas calma ai que não terminei! Aí você pensa, e se eu criar duas páginas uma com o nome “seo” e outra com o nome de “otimização de sites”? Aí pode né? NÃOOO! Se você fizer isso o Google pode entender que você está super otimizando seu site e pode aplicar uma bela punição removendo seu site dos resultados de pesquisa ou jogando seu site lá para a décima segunda página. Dessa forma se tiver keywords similares escolha a que gera mais tráfego e coloque na sua URL, e, por favor, não crie conteúdos similares com sinônimos de palavras-chaves achando que o Google vai posicionar seu site para todas essas palavras.

Aí ao contrário meus amigos, isso pode acabar com toda sua estratégia de marketing e de link building. Entendam que o Google já entende sinônimo faz anos e não importa qual palavra-chave você vai escolher, basta apenas colocar sinônimos no decorrer do seu conteúdo. Isso se chama LCI keywords e você poderá incluir no seu conteúdo e aparecer para diversas palavras, mas isso vamos ensinar no decorrer desse mini tutorial.

Veja abaixo como ficaria a URL da sua página:

Veja acima que a URL é mesma do começo do título(TITLE) da página, e essa semântica deve ser seguida, ok?

Keyword nas 100 Primeiras Palavras

O segredo de criar um conteúdo perfeito não está muito na escolha do tema e nem na desenvoltura do assunto a ser tratado, mas sim na estrutura de palavras-chaves e o uso de diversas outros sinônimos no decorrer do conteúdo, mas sem encher de palavras que não tenham a menor semântica de contexto com seu artigo, né?

Antes mesmo de começar a criar seu conteúdo você precisa de uma relação com umas trinta keywords relacionadas a sua keyword principal, e as palavras e frases chaves dessa relação serão usadas em todo conteúdo, inclusive na metatag ALT e TITLE das imagens.

Depois de definida sua palavra-chave principal, acesse o Keywords Tool do Google e pesquise sinônimos dessa palavra-chave. Nessa etapa não se preocupe muito com o tráfego mensal das palavras, apenas pegue as primeiras 30 palavras independente do tráfego.

Vamos supor que nossa palavra é SEO, e essa seria nossa relação de palavra:

Agora o segundo passo é ir à pesquisa do Google e pesquisar seu termo principal, no nosso caso o termo contínua sendo SEO. Depois de mostrar os resultados mais relevantes para a pesquisa no final da página o Google irá mostrar outras palavras-chave que tem relação com o seu termo principal pesquisado. Essa relação de sugestões é conhecida como LCI Keywords.

Anote todas as sugestões junto a sua relação de palavras retiradas do Google Keyword Planner.

A primeira regra é utilizar sua palavra-chave principal nos primeiros 100 palavras do seu artigo ou conteúdo de texto, mas usar de forma correta e não forçar esse uso, ok? Até pode passar um pouco de 100, mas é de vital importância que o uso da sua keyword esteja no primeiro parágrafo do seu conteúdo e nem precisamos dizer que tem que estar em sintonia com seu conteúdo, né? Não vai colocar sua palavra dentro de um contexto que ela não se enquadre.

Veja um exemplo abaixo:

Depois de usar sua palavra-chave principal nos primeiros 100 palavras fiquem tranquilos e crie seu conteúdo sem pensar no uso das outras 30 palavras que temos separadas em nossa lista.

Nessa etapa foque na qualidade de seu conteúdo, isso por que no final das contas de nada adianta ter um conteúdo recheado de várias palavras-chaves e esse conteúdo não nenhum sentido. Foque na qualidade e no depois de terminado esse conteúdo vamos pensar nas palavras-chaves que separamos, ok?

Keyword no Meio do Seu Conteúdo

Tenha em mente que, ao contrário do que muitos dizem não existe um número exato de vezes que sua palavra-chave deverá aparecer no decorrer do seu conteúdo, e mais importante que a quantidade é a disposição e posicionamento dessa palavra. O Google não está nem ai se você usou a mesma palavra diversas vezes. Tenha em mente que se seu conteúdo tiver até 1500 palavras o ideal é usar pelo menos 10% dessas palavras focadas na sua principal palavra, e o restante em termos relacionados a sua palavra-chave principal.

Você pode repetir quantas vezes você quiser contanto que faça sentido, e o mais importante para o robô de busca do Google não é a quantidade de vezes que você irá repetir sua palavra e sim onde ela deve ser mais evidenciada. Nessa etapa temos que colocar nossa palavra-chave mais ou menos no meio do nosso conteúdo, sempre tendo em mente que deve ter sentido com o contexto geral do seu artigo.

Ok?

Posicionamento de Imagens e Keywords

Convenhamos que um conteúdo sem imagens deixa seu artigo totalmente sem graça e não estimula em nada o usuário em terminar de ler, certo? Dessa forma sempre coloque uma imagem pelo menos a cada 20% de texto que você escrever exemplificando o contexto principal desses 20% de texto, dessa forma você solidifica a informação que seu usuário acabou de ler e vai prendendo a atenção dele até que ele termine de ler. Por exemplo, se seu conteúdo tem um total de 400 palavras a cada 80 palavras (20%), você pode usar um infográfico ou uma imagem qualquer que tenha relação com o que você acabou de escrever. Beleza?

Normalmente no primeiro parágrafo você explica ao usuário o que ele vai encontrar lendo seu conteúdo, etapa por etapa. Dessa forma nessa introdução faça um breve resumo geral onde sua palavra-chave principal além de aparecer dentro dos 100 termos, ainda conte com uma imagem de contextual bem chamativa para que dessa forma o resumo junto com a imagem convençam o usuário a continuar a ler o restante do seu conteúdo depois que ele terminar de ler a introdução.

Pois bem, nessa primeira imagem dentro da Tag ALT, que para quem não está familiarizado com esse termo é uma das técnicas de otimização de imagens onde informamos ao robô de busca do Google sobre o que se trata essa imagem, se quiserem mais detalhes vejam na referencia acima, ok?

Enfim, seguindo... Nessa primeira imagem, dentro da Tag ALT você irá colocar sua keyword principal, mas sem colocar mais de uma palavra-chave! Somente coloque uma palavra.

Outro detalhe importante, com certeza seu artigo vai ter diversas imagens, (assim espero né) dessa forma não use mais palavras relacionadas ao seu termo principal no restante das imagens. Simplesmente coloque dentro da Tag ALT sobre o que se trata a imagem.

Como a maioria dos sites hoje em dia são programados no Wordpress e para facilitar sua vida, segue um guia para encontrar essa Tag usando o editor e inserir sua palavra-chave. Acesse aqui.

De nada viu? Rs.

Mas se você quiser editar direto no código fonte faça dessa forma : img src="imagem.jpg" alt="SUA KEYWORD".

Hierarquia de Títulos e Semântica de Conteúdo

De nada adianta criar um conteúdo fantástico se você não tiver o cuidado de segmentá-lo de forma semântica, por relevância e por importância. Ah?

Não entendeu nada né? Kkkkk

Vamos explicar. Antes mesmo de criar seu conteúdo você precisa dividir esse conteúdo em sessões ou capítulos, e em cada sessão você vai falar de um assunto que terá relação direta com sua principal palavra-chave.

Agora você deve estar se perguntando, mas como eu monto essas sessões? A resposta é tão simples quanto à pergunta.

Você se lembra da relação de palavras-chaves que temos na nossa lista e que ainda nem foi usada? Agora vamos começar a usá-la.

Novamente, quando for escolher esses títulos não se preocupe com a quantidade de tráfego e sim se preocupe em criar capítulos que tenham relação com seu tema principal e que você tenha conhecimento suficiente para escrever algo interessante dentro de cada capítulo. De forma alguma escolha um título baseado na palavra-chave se você não sabe nada sobre o assunto, e muito menos jogue no Google para copiar a ideia de alguém! Lembrem-se sempre, conteúdo novo e informação nova e criativa é o que gera tráfego e bons resultados. Não perca seu tempo copiando nada de ninguém, e o máximo que você pode fazer é complementar seu conteúdo referenciando outra fonte que agregue valor a informação que você escreveu.

Enfim a regra aqui é simples.

Repita sua palavra-chave em todos os títulos do seu conteúdo, claro que não preciso lembrar que sua palavra deve estar dentro do contexto geral do seu artigo e você até pode complementar sua palavra principal com alguma outra frase-chave que você tiver na nossa lista de 30 palavras. Só não vá me colocar somente a palavra-chave no título em! Pelo amor de Deus...

Aqui vou dar uma dica que já ensinamos vocês na parte de criação do título da página, lembra? Então, junto com sua palavra crie uma chamada de ação bem interessante relacionada com o conteúdo que será escrito em seguida.

Fica bem bacana e mantém seu leitor firme e forte lendo seu conteúdo curioso com suas chamadas de ação.

Criando Seu Conteúdo

A primeira regra para criar um conteúdo bom, mesmo que não seja o melhor conteúdo do mundo é criar um conteúdo longo.

Longo? Como Assim?

Pesquisas indicam que conteúdos que possuam mais de 1500 palavras e sejam devidamente divididos em capítulos e principalmente cubram a maior quantidade de informações possíveis sobre determinado tema, tendem a ser mais relevantes ao Google. Parece meio doido né?

Então se eu criar um conteúdo bem longo escrevendo um monte de linguiça o Google vai colocar meu site na primeira página? Também não exagera né? Claro que não!

Entendam um conceito bem importante de como funciona o Google: O Google quer que o usuário encontre a informação que ele procura o mais rápido possível, e que essa informação seja a mais completa possível também. Dessa forma o usuário não precisa mais voltar à página de pesquisa e continuar procurando em outros sites uma informação que ele achou incompleta em algum outro site que ele havia clicado antes.

O usuário já encontra nessa página uma informação completa, e o Google realiza a função dele de forma rápida e simples sem tomar o tempo do usuário. É claro que existem outros fatores importantes para um site chegar à primeira página, porém o fato de você saber criar um conteúdo completo e segmentado pode aumentar e muito suas chances de aparecer na primeira página sem ter nenhum backlink apontando para sua página. É isso mesmo que você leu. Sem ter trabalho nenhum com seu Link Building, que convenhamos... Toma um tempo tremendo da gente, né?

Outro fator que o Google já tem controle faz tempo é do tempo de permanência do usuário em um site de acordo com uma pesquisa de uma palavra-chave qualquer. A coisa funciona assim, para o Googlebot quanto maior o tempo de permanência em uma página mais importante ela é ou está sendo para aquele usuário. Claro que se você mesmo ficar com sua página aberta do dia todo não adianta nada amigo, então nem perca seu tempo, porém imagine se milhões de usuários tiverem o mesmo comportamento de permanecer na sua página por muito tempo... O Google entende que aquele conteúdo é de alta relevância e automaticamente joga ele para a primeira página de pesquisa mesmo que ele esse conteúdo não tenha nenhum backlink apontando para ele.

Entenderam como funciona a coisa?

Peguem como exemplo essa página onde estamos colocando em prática todas as dicas que exemplificamos aqui! Dividimos em capítulos relacionados com SEO todos os termos que tem relação com nosso tópico principal.

Enfim, vamos à etapa final e a mais importante de todo processo. Vamos usar nossas 30 keywords em nosso conteúdo de forma sistêmica e despojada.

Primeiramente pegue sua lista de palavras e veja todas com calma. Tente memorizar a grande maioria ou simplesmente leia diversas vezes, e pode ter certeza que enquanto estiver criando seu conteúdo essas palavras que você memorizou virão a sua mente.

Crie seu conteúdo utilizando todas as palavras, se possível. E não se preocupe em repetir mais de uma vez, mas não precisamos lembrar que não adianta repetir a mesma palavra-chave centenas de vezes, isso além de não ajudar em nada ainda deixa seu conteúdo sem sentido e ruim. Use essa relação de palavras em sintonia com seu conteúdo se preocupando principalmente com a qualidade e pensando sempre no seu usuário, que será o melhor beneficiado. Nessa etapa de desenvolvimento você precisa estar inspirado e focar 100% no tema e na ideia do conteúdo, pensando sempre do que seria útil para o usuário, então esqueça Google e posicionamento. Deixe sua criatividade fluir e dê o seu melhor para criar um conteúdo que realmente seja útil ao seu usuário, beleza?

Se preferir ou tiver dificuldades para memorizar essas 30 palavras-chaves crie seu conteúdo sem olhar para essa lista. A regra é a mesma. Deixe sua criatividade fluir...

Depois que terminar de escrever releia todo conteúdo novamente. Mas por que reler?

Meu caro, além de você encontrar muitas frases sem sentido e erros de português é de vital importância que você entenda cada etapa do conteúdo, principalmente se ele for longo. Por que no final tudo deve estar conectado e fazer sentido do começo ao fim.

Ao reler você terá uma memória de curto prazo que irá armazenar temporariamente seu conteúdo. Assim que terminar de ler pegue sua lista de palavras-chaves. Leia uma por uma e tente visualizar dentro do seu conteúdo onde cada palavra teria sentido e se preferir até substitua possíveis palavras que você mesmo escreveu pelas palavras-chaves da nossa lista.

Com certeza umas das duas técnicas de memorização vai ajudar você a usar grande parte da nossa lista de keywords.

Referencie o Conteúdo dos Outros

Não sei se vocês já perceberam na época da escola onde tínhamos que ir à biblioteca para fazer aquelas pesquisas trabalhosas, e ler milhões de livros para conseguimos escrever quatro lados de folha de papal almaço... hahahahhaha. Agora você se Lembra de que sempre no final desses livros como a Enciclopédia Barsa e outros livros que na época eram bem famosos tinha a parte de referências bibliográficas?

Então caros amigos entendam uma coisa bem importante na criação de conteúdo. Nada se cria tudo se copia...

Mas também não precisamos levar esse termo ao pé da letra né? Calma. O quis dizer é que nenhuma ideia brilhante aparece do nada, tudo é inspiração de alguma outra coisa que aconteceu conosco que nos motivou a ter aquela ideia.

Resumindo, tudo tem um princípio antes de ser criado pela nossa mente. A nossa luz de inspiração é simplesmente a construção de várias fontes de ideias que já vimos ou lemos em algum outro lugar e que a nossa mente cria cenários fantásticos em cima dessas ideias, e é daí que vêm as ideias boas. Nada se cria por si só.

Enfim, depois dessa mini-introdução a psicologia básica e funcionamento da mente... RS... Vamos seguindo com nosso raciocínio anterior.

Podem notar que a grande maioria dos artigos e conteúdos que encontramos na internet tem uma fonte ou várias referências de pesquisa, e muitas dessas fontes tem um link que aponta para a o conteúdo principal de onde veio a inspiração para a criação de outro conteúdo.

Essas referências devem ser feitas em todo seu conteúdo, não para mostrar ao outro site que você está referenciando ele, mas sim para agregar valor e uma informação mais completa ainda para o seu conteúdo. E tem mais, dependendo da autoridade e relevância da fonte junto Google você passar mais credibilidade e segurança ao robô de busca do Google que seu conteúdo está falando de determinado assunto e está referenciando um site muito importante aos olhos do Google que também fala sobre esse assunto.

Referenciar outros bons conteúdos não só aumenta a qualidade do seu conteúdo como também deixa seu site mais bem visto aos olhos do Google e também do usuário que pode muito bem acessar esse link para sua fonte inicial e continuar lendo mais informação sobre o mesmo tópico que ele estava lendo no seu site.

Se vocês notarem em quase todos os tópicos do nosso conteúdo estamos referenciando um outro conteúdo que agrega valor ao nosso conteúdo.

Entenderam?

Somente uma última dica, não é obrigatório colocar esses links de referência só no final do seu artigo. Você pode ir colocando de acordo com o desenvolvimento do seu conteúdo, e novamente não se esqueça de que precisa fazer sentido! Não vai colocar um backlink no seu texto a toa esperando o outro site ter a boa vontade de também criar uma referência para você. Esqueça essa ideia e não espere referencia de ninguém. Se seu conteúdo for bom e de alto valor de utilidade podem ter a certeza que as referencias virão com o tempo, dessa forma NUNCA aponte uma referência para outro site só para impressionar ou esperar um muito obrigado. Pense no seu conteúdo e referencie outros conteúdos de qualidade que possam agregar valor ao seu conteúdo!

Se quiserem mais dicas de otimização de sites o próprio Google recentemente atualizou o manual de otimização que você pode encontrar completo aqui.

Black Hat SEO

Nesse tópico final vamos falar um pouco das técnicas que não devem ser utilizadas para a otimização do seu site e, se forem usadas e o Googlebot perceber seu site será severamente punido correndo o risco de nunca mais aparecer nos mecanismos de busca. Infelizmente algumas pessoas não querem ter o trabalho todo de seguir todas as estratégias certas ou caminho

correto para chegar à primeira página de pesquisa do Google, e preferem escolher o caminho mais curto e mais rápido, porém perigoso e injusto.

Vamos falar o que você mesmo pode fazer sem esperar que outros sites apontem um link para você, além de ensinar algumas técnicas para sempre que você for publicar alguma nova página no seu site que ela seja indexada em menos de 24 horas e já apareça nas buscas.

Como em qualquer tipo de competição, seja ela qual for sempre existirão aqueles competidores que irão querer ganhar de qualquer jeito e usar técnicas ilícitas para manipular o processo, e com o Google não é diferente. Isso por que o Google pode ser mega inteligente, tem diversos parâmetros avançados de identificação de fraudes e outras coisas, mas ainda sim é uma máquina que segue regras e instruções estabelecidas por um desenvolvedor atrás de um computador. Dessa forma existem técnicas de burlar e enganar o Googlebot para que seu site chegue à primeira página de pesquisa rapidamente e sem fazer muito esforço, ou criando conteúdo de qualidade, promovendo esse conteúdo e etc... Enfim seguir todo passo a passo correto para otimizar o código fonte do seu site além de marketing de conteúdo, que demanda muito tempo de promoção e contato com outras fontes para divulgar e ganhar boas referências para determinado artigo.

O Black Hat existe desde os primórdios que o mecanismo de pesquisa do Google foi inventado, e sempre algum espetinho encontrava alguma maneira de deixar o site dele entre os primeiros na busca. Porém o tempo passou e as exigências e inteligência do Googlebot foi muito bem aperfeiçoada e hoje em dia são poucos sites que conseguem usar essas técnicas de Black Hat, (Chapéu Preto) e conseguir bom posicionamento. E quando conseguem rapidamente o Google identifica e pune severamente esses sites.

Agora vamos dar uma breve voltinha nesse tempo em que o Google era ingênuo e o que o usuário fazia para burlar o sistema, e quando o Google ficou mais esperto e começou a encontrar esses SPAMMERS com facilidade, e sumir com sites de má qualidade e sem conteúdo bom dos resultados de busca.

Na criação do mecanismo de busca do Google o algoritmo de classificação ou o sistema de identificação de manipulação era bem xucro e qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento em HTML conseguia colocar seu site na primeira página do Google sem maiores dificuldades. Nessa época o algoritmo era similar a uma lista telefônica onde as empresas eram segmentadas por áreas de atuação ou categorias de serviços e produtos, e classificadas em ordem alfabética. Dessa forma era muito simples aparecer no topo das pesquisas, bastando apenas ter um domínio de site que começasse com a letra A, assim seu site seria listado logo nas primeiras posições da pesquisa do Google. Nessa época nem era necessário colocar palavras-chaves no título do site para melhorar a classificação, pois o próprio Google já incluía na categoria desejada e em ordem alfabética.

Com passar do tempo essa técnica ficou manjada por diversos desenvolvedores de sites e o Googlebot percebeu o grande aumento na manipulação desse sistema e foi a partir desse momento que o famoso Black Hat veio à tona e o Googlebot passou a ganhar novas atualizações e aperfeiçoamentos técnicos para conseguir enxergar cada vez mais detalhes de determinado site, e classifica-lo de acordo com as limitadas regras que ele seguia nessa época.

Nessa época o maior critério de classificação nos resultados de pesquisa era quantas vezes determinada palavra-chave aparecia no código da página. Não era necessário criar um conteúdo lindo e maravilhoso para que seu site subisse nas buscas e sim somente colocar sua palavra-chave junto de dezenas de outras keywords escondidas no código HTML do seu site que com certeza ela estaria na primeira página em poucos dias. Quando dizemos esconder suas palavras-chave estamos dizendo em, por exemplo, colocar um fundo de tela azul marinho e a fonte também azul marinho, dessa forma o usuário não vai enxergar determinado texto e somente o Google enxergava analisando diretamente a o código fonte da página do site em questão, já para o usuário aparecia simplesmente um fundo azul.

Essa é uma das técnicas que eram mais usadas para manipular o sistema de busca e classificação do Google, mas com passar do tempo novamente o algoritmo foi ganhando mais inteligência e nos dias de hoje encontra esse tipo de fraude sem maiores dificuldades, seguida de uma pela punição.

Depois que os desenvolvedores que faziam Black Hat perceberam que o Google havia reconhecido essa técnica de repetição de keyword escondidas no meio do texto com a mesma cor de fundo de tela ele passou a punir severamente grandes sites que aplicavam essa técnica e um dos grandes sites que em meados de 2011 foi punido foi o site da decolar.com, e o motivo da punição foi justamente esconder palavras-chaves em textos colocados no cabeçalho e no rodapé do site. Além de esconder palavras-chaves o site da Decolar também passou a ganhar uma quantidade enorme de referências, (backlinks) de forma absurda, ganhando centenas de links do dia para a noite, e ainda por cima de sites suspeitos e de baixa qualidade.

Vamos falar dessa outra técnica mais para frente, mas pegando esse exemplo da punição do site da decolar fica nítido e óbvio que o robô de busca do Google consegue ter acesso à quantidade de novos sites que referenciam outro site e o Google não se importa com isso, ao contrário. Esse fator de ganhar referência ainda nos dias de hoje, (2018) é o fator de maior relevância e autoridade para posicionar um site nas primeiras posições do Google, porém existem regras de autoridade e semântica entre essas referências. De nada adianta um site de roupas referenciarem um site de carros ou vice e versa, pois não faz o menor sentido, porém uma referência de outra loja de sapatos femininos criando um link para essa loja de roupas, ou de outra empresa de motor de carros adicionando uma referência a essa empresa de carro faz sentido e ambos ganham autoridade junto ao Google por isso. Entendeu?

Se não entendeu não se preocupe, pois falaremos disso com mais detalhes mais para frente.

Se quiser maiores detalhes sobre a punição do site da Decolar.com acesse o site da Agencia Mestre que tem uma reportagem bem explicativa.

Técnicas de Black Hat SEO

Bom, na introdução sobre Black Hat já falamos brevemente sobre duas formas de manipular o Google.

A primeira delas é esconder palavras-chaves da mesma cor do fundo de tela da página, mas essa técnica já é bem manjada pelo Google então nem pense em usá-la. A segunda técnica que falamos acima é de conseguir muitas referências ou backlinks para o seu site do dia para noite sem mais nem menos e de sites suspeitos e de baixa qualidade.

Acreditem ou não, mas esse segunda técnica ainda é utilizada por muitos profissionais de SEO que se dizem especialistas na área. E o pior é que eles realmente acreditam que isso funciona mesmo com todo conteúdo que o Google publica mostrando as diretrizes corretas para melhorar sua visibilidade nas pesquisas. Apesar de que se formos pensar de modo frio para o Google pouco importa a busca orgânica e todas essas diretrizes de otimização a serem seguidas.

E sabe por quê? Simplesmente por que nosso querido Google vive de busca patrocinada, ou seja, o Google Adwords, anúncios no Youtube e muitas outras ferramentas pagas. Na real o Google não tem interesse algum em ajudar você a melhorar o posicionamento do seu site nas buscas, e sabe por quê? Por que se seu site for muito bom e aparecer em primeiro lugar na busca pode atrair mais o usuário do que o anúncio patrocinado deles... E ai... O Google perde cliques nesses anúncios e cliques quer dizer dinheiro para o Google. Entendem agora o funcionamento do processo?

O Google apenas publica essas diretrizes para fazer uma média com o usuário e passar uma imagem de bom moço mostrando para a mídia que ele faz a parte social junto às pessoas... Nada mais... Porém esse não é foco do assunto, e me desculpem por fugir um pouco do nosso tema principal.

Voltando...

Como dissemos a parte de criação de backlinks e principalmente compra de backlinks já não funciona faz anos! Acontece que muitos profissionais de SEO ainda tem essa crença antiga e ridícula que comprar links ou criar links em sites de perfis ajuda alguma coisa no posicionamento do site.

NÃO AJUDAAAA!

Como já dito anteriormente o que realmente ajuda um site a ganhar posicionamento nas pesquisas do Google são as referências e backlinks que ele ganha dentro do mesmo segmento que esse site atua. No nosso exemplo anterior explicamos que de nada adianta uma loja de roupa ganhar um backlink de uma loja de motores de carros, agora se uma loja que vende sapatos referenciar essa mesma loja de roupas faz sentido e ambos os sites ganham autoridade e relevância aos olhos do Googlebot. Porém não é só isso que conta... Hoje em dia o backlink precisa fazer sentido.

Sentido na semântica de determinado conteúdo, ou seja, não é apenas criar um backlink com a palavra-chave roupas em um parágrafo dentro de conteúdo xexelento e sem qualidade alguma no site da loja de sapatos. A fonte e conteúdo onde está esse backlink para a loja de roupas também precisa estar dentro do contexto geral do site de sapatos.

Entendam que mais vale poucas referências de bons sites do que milhões de referências de sites xexelentos e sem qualidade.

É exatamente nesse contexto entre keyword vs fonte vs conteúdo que queremos chegar, e esse é o principal motivo que a compra de backlinks não funciona! Além de correr o sério risco de ter seu site punido pelo Google, e sem lembrar que custa caro pra burro comprar esses backlinks.

Por que comprar backlinks não adianta em nada? Por que não existe essa relação entre palavra-chave, fonte de autoridade e conteúdo de qualidade. E entenda uma coisa muito importante, de nada adianta você comprar backlinks de sites relacionados ao seu ramo de atuação achando que esses links vão ajudar em alguma coisa, por que não vão!

Quando você compra backlinks, seu site apenas aparece em uma pequena parte de texto mencionando seu link e mesmo que esse site esteja dentro da sua área de atuação não vai adiantar nada por que o Google também verifica a qualidade e autoridade do domínio que aponta o backlink para o seu site, e esse site até pode ter uma autoridade de domínio boa, porém se não houver conteúdo no contexto desse backlink de nada vai adiantar. Sem dizer que se o Google perceber alguma forma de manipulação na hora de analisar o backlink que esse site suspeito está apontando para o seu site ele pode punir o seu site e esse outro que te apontou o backlink.

É isso mesmo! Você além de ter gastado uma nota comprando esse pacote mágico de backlinks ainda vai ter seu site punido ou às vezes o Google joga ele lá para a página 42, justamente para ninguém achar. Convenhamos ninguém passar da segunda página do Google quando está pesquisando alguma coisa, né?

Isso tudo sem falar naqueles sites onde você cria 5.000,00 backlinks em 2 minutos...kkkkk

Fuja correndo desse tipo de site, pois ele irá cadastrar seu site em diversos sites de SPAM e muitas vezes esses backlinks ao invés de ajudar a promover seu site com certeza vai prejudicar todo marketing de link building.

Enfim caros amigos quando assunto é comprar backlinks nem pense no assunto, descarte na hora. Seu site até pode ganhar algum posicionamento, mas uma hora o Google vai analisar seus backlinks e ver que são de péssima qualidade, além de estarem totalmente fora do contexto dentro de algum conteúdo. Entendam que o Google percebe na hora quando do dia para a noite você simplesmente consegue 10.000 backlinks de sites autoritários e sem conteúdo de qualidade, e ele com certeza vai punir severamente seu site, dessa forma não pratique esse técnica de compra de links.

Eu sei que SEO é um processo lento, mas é melhor conseguir bons backlinks gradualmente, de forma natural e por mérito de qualidade do seu conteúdo do que simplesmente pegar o atalho mais curto, porém temporário. Por que você vai ser pego, tenha a certeza disso. Quer trabalhar com SEO? Então faça as coisas de forma correta seguindo as regras do jogo, ok?

É por esse motivo que a promoção de conteúdo primeiro mostra o conteúdo para diversas fontes e mídias e, se esse conteúdo realmente for de alto valor de informações e útil para o usuário com certeza você vai ganhar dezenas de backlinks pelo simples fato de ter avisado fontes de referência dentro da sua área de atuação que você criou um conteúdo único, que com certeza irá agradar a audiência dele, que é a mesma audiência que a sua! E ainda melhor que isso, se realmente for bom esse conteúdo se torna viral em pouco tempo e você terá uma promoção de link building automática. É claro que tem mais detalhes que envolvem todo processo para criar um conteúdo perfeito, como a escolha do tópico do conteúdo, encontrar sites e contatos no mesmo ramo de atuação, conseguir e-mails desses contatos e simplesmente dizer para eles que você criou um conteúdo novo e único que ele vai adorar, nada mais que isso. Se for bom com certeza será compartilhado em toda rede.

White Hat SEO

Agora vamos para todas as dicas do que vocês podem e devem fazer para melhorar a qualidade e desempenho do marketing do seu site sem que ele seja visto como vilão pelo robô de busca do Google.

Anos e anos se passaram e ainda sim a regra do conteúdo de qualidade ainda é rei, porém a definição de conteúdo de qualidade sofreu diversas modificações devido à mudança de cultura do usuário e do tipo de conteúdo que esse usuário passou a valorizar mais. Hoje em dia não adianta serem muito técnico, cansativo e teórico na hora de criar seu artigo ou qualquer outro conteúdo. Pode ser infográfico, algum script que ajude o usuário a resolver algum problema específico, ou se for à forma de texto que seja bem completa, segmentada e utilizando SEMPRE a forma de Storytelling, que já explicamos o que é em tópicos anteriores. Seja prático. O usuário quer que você resolva o problema dele rápido e de forma simples. Tenha isso em mente antes mesmo de começar a criar seu conteúdo.

Mas por que só nessa forma de storytelling? Por que quando você escreve em primeira pessoa você dá a impressão ao usuário que está conversando diretamente com ele. Você traz esse usuário para dentro do seu conteúdo, da sua ideia, e não simplesmente escrevendo coisas chatas em terceira pessoa só para ter mais um artigo no seu Blog. Use sempre o conteúdo em primeira pessoa e falando a linguagem que o usuário gosta, pode ser meio despojada ou usando emojis e chamadas gráficas no meio desse conteúdo. Isso prende a atenção do usuário que com certeza irá ler até o final do seu conteúdo pelo simples fato que a forma que você está escrevendo é a forma que ele gosta de ler.

A segunda parte do White Hat é a criação de backlinks para o seu site. Ahhhhh! Agora você se pergunta: “Mas você falou que não pode...!”

Calma meu caro, vamos explicar o porquê de criar pelo menos uns 50 backlinks em alguns sites que vão ajudar o Google a encontrar seu conteúdo mais rápido, e não fazer seu site ganhar autoridade ou relevância. Isso quem vai fazer é você de acordo com a qualidade do seu conteúdo e a forma como você for promovê-lo. A ideia aqui com a criação desses backlinks de perfis é apenas deixar dicas ou migalhas de pão para facilitar o Googlebot a encontrar seu site. Nada mais que isso.

Você com certeza já deve ter ouvido falar de backlinks em perfis sociais seja ele de qualquer natureza, certo? Inclusive já deve ter criado mais de 1.000 backlinks em sites de perfis sociais e seu site até hoje não saiu do lugar, né? Kkkk... Mas você quem já sabe de cor e salteado o que são os famosos profile backlinks espera um pouquinho que vamos explicar para quem não sabe. Depois explico a importância desse processo para o seu projeto de SEO.

Bom, você quem nunca ouviu falar de backlinks de sites de perfil vamos dar um exemplo bem simples, veja nesse link aqui. Aqui você vai ver que uma pessoa se cadastrou, colocou seus dados básicos como nome completo, e-mail, endereço... etc...e nesse caso tem um campo onde você pode colocar seu website, caso tenha um. Quando você coloca seu website e deixa seu perfil visível e público o nosso amigo Googlebot tem como analisar os links dessa página e ele vai achar o seu site e automaticamente indexar quase todo conteúdo que você tem. Entendam que links de perfil não valor algum para melhorar seu posicionamento nas pesquisas do Google, porém ele ajuda o Google a achar e indexar seu site com mais rapidez, e sabe por quê?

Por que quanto maior a autoridade e relevância do site mais vezes o Googlebot vai visitar esse website para tentar encontrar conteúdo novo. Isso por que como já dissemos antes, quanto maior a autoridade ou domain authority mais confiável o conteúdo de determinado site é, então o Google faz questão de visitar esses sites com mais frequência a procura de conteúdo novo e de relevância.

Criar esses backlinks é útil para indexar páginas novas do seu site rapidamente. Agora você se pergunta: “Mas como faço isso...?”

Simples. Apenas coloque o link da sua página no campo do web site, dessa forma aqui. Veja que no campo web site temos a URL completa da página. Faça isso em uns 20 sites que você já tem seu perfil criado e cadastrado alterando apenas o link da página inicial, que já estava antes na página de perfil e mude a URL para sua nova página.

Novamente isso não vai subir seu ranking nas buscas, mas vai ajudar seu site a ser indexado mais rápido e quanto mais rápido o Googlebot encontrar sua página mais rápida essa página será analisá-la e classificar nas buscas. Lembre-se de um fator muito importante, hoje em dia a cada segundo 10 páginas são lançadas na rede para que o Google as encontre e muitas delas nunca serão encontradas se não houver um empurrãozinho... Rs. Tem um site bem interessante que mostra dados reais sobre isso, confira que vale a pena. Agora vamos a parte que interessa né? Nesse link tem mais de 80 backlinks de perfil para você se cadastrar e colocar seu site. Novamente...de nada viu? kkk

Uma última técnica de White Hat seria a forma como você irá promover seu conteúdo. Lembrando que a promoção do conteúdo é o link building dos dias atuais.

A regra na promoção é simples. Depois que você criar seu conteúdo você precisa mostrar a outras pessoas esse conteúdo, e não caia nessa estória que conteúdo de qualidade irá automaticamente atrair backlinks para o seu site... blá...blá...blá. Isso é e sempre foi um mito e uma baita mentira ensinada por muitas escolas de SEO e marketing digital. Como o Google vai classificar seu conteúdo se seu conteúdo não tem referência alguma boa de outros sites? Vocês acham mesmo que o Googlebot vai chegar ao site e achar o site bonitinho e assim jogar na primeira página?? Por favor, né... Tenha a Santa paciência.

Entendem? Não faz o menor sentido e todos os cursos de SEO ensinam essa premissa ridícula de que “conteúdo bom se promove sozinho...” por que não promove. Se você não divulgar seu conteúdo ele vai continuar no mesmo lugar meses e meses.

Mas, voltando. Na hora de promover seu conteúdo não adianta nada pegar uma lista de mais cinco milhões de e-mails que você comprou no mercado livre por quinze reais e sair enviando o link do seu artigo para toda lista de gente que você nem sabe quem é. Aqui a regra principal da promoção é mostrar o conteúdo para quem realmente está dentro do seu ramo de atuação e tem o poder de compartilhar com mais pessoas dentro desse mesmo ramo de atuação, tornando assim seu conteúdo viral, gerando vários backlinks e boas referências de forma natural.

Porém aqui vai a segunda regra de ouro caros amigos. Nós não vamos enviar e-mails para CEO de empresas ou agências comerciais implorando para eles lerem nosso conteúdo. Nós vamos procurar blogueiros famosos e influenciadores sociais dentro do segmento de atuação que queremos divulgar.

Mas por que blogueiros? Como assim? Me perdi todo agora. Kkkk

Calmos amigos e amigas. Primeiro ponto, blogueiros e influenciadores sociais passam o dia procurando conteúdo bom para compartilhar com sua audiência. Eles vivem de conteúdo novo e quando o conteúdo é bom eles compartilham sim. E sabe por quê? Simplesmente por que quando uma fonte de referência no assunto, no caso um blogueiro famoso dentro do seu segmento de atuação, compartilha esse conteúdo extraordinário com seu público ele ganha mais autoridade ainda no assunto, e ao mesmo tempo melhora ainda mais a imagem social dele dentro desse segmento.

Mas como encontrar esses contatos e mais difícil ainda, como fazer a abordagem correta para não ficar aquela impressão chata que estamos pedindo um backlink para o nosso conteúdo?

Existem duas formas de encontrar esses influenciadores de conteúdo. A primeira delas é pesquisa artigos no Google relacionado ao seu artigo.

Por exemplo: Vamos supor que seu artigo é sobre marketing social no facebook, ok?

Vá até a pesquisa do Google e pesquise uma frase longa como se estivesse realmente fazendo uma pergunta ao Google, dessa forma:

Como fazer marketing social dentro do meu facebook sem ter amigos. Claro que isso é um exemplo e você pode perguntar o que quiser na pesquisa, e aqui vale a regra que quanto mais específico você for na hora de pesquisar melhores resultados você terá. Outro exemplo mais específico seria como fazer marketing social dentro do meu facebook usando o Google Adwords e Facebook ADS. Não se preocupe com a quantidade de palavras, o Google até gosta, pois quanto mais palavras na pesquisa mais amplo ficarão os resultados que o Google irá te retornar. Agora veja aqui como ficaria a página dos resultados da pesquisa.

Nessa relação de sites que irá aparecer nos resultados de pesquisa você terá diversos artigos e conteúdos relacionados com o conteúdo que você acabou de criar e quer promover. Basta acessar todos os artigos e procurar pelo autor desse artigo, e normalmente todos os artigos hoje em dia tem no final o nome, contatos e perfil social do autor que escreveu aquela postagem. Pegue a maior quantidade de informações possíveis sobre esses autores que estão relacionados com seu tema e coloque tudo em uma planilha de Excel.

A regra aqui é simples, quanto mais contatos maiores serão suas chances de conseguir boas referências para o seu artigo. Outra alternativa mais rápida é usar a ferramenta do Buzzsumo onde basta colocarmos nossa palavra-chave principal do nosso artigo que ele retornará com diversos conteúdos relacionados a sua palavra-chave. Mesmo assim recomendamos utilizar as duas formas, pois muitos resultados atuais podem não estar dentro do banco de dados do Buzzsumo.

Na hora de enviar o e-mail para abordar o autor ou influenciador não peça logo de cara o backlink, por favor... Rs. Outra dica bem legal é usar uma extensão para GMAIL que se chama Clearbit. Essa aplicação para o GMAIL encontra o nome completo e dados como e-mail, cargo ou função e muito mais somente você pesquisando pelo domínio da empresa. É fácil de usar e melhor que isso. É de graça! Então use

Crie um texto de sua autoria simplesmente dizendo que você encontrou o artigo dele no Google e gostou muito, se possível até evidencie algumas partes do artigo dele que você leu só para chamar a atenção dele. Demonstre real interesse e elogie o conteúdo desse autor, e coloque o link do artigo dele para ele ver que o assunto é sério. Depois de elogiar o artigo dele, de forma simples e direta diga para ele que você tem um conteúdo relacionado ao dele e que talvez possa agregar valor ao artigo desse influenciador. Outra forma menos invasiva de fazer com que esse influenciador leia seu conteúdo é simplesmente dizer que você criou um conteúdo relacionado ao artigo dele e que você queria a opinião de uma pessoa que tem um grande renome e autoridade dentro do segmento, e que a opinião desse influenciador seria de vital importância para você... Enfim, encha a bola desse autor para que ele se sinta o máximo.

Afinal, convenhamos quem não gosta de ser reconhecido e elogiado por alguma coisa que fizemos? TOOODOSSSS!

Entendam que existem diversas formas de abordagem, mas o mais importante é que esse influenciador leia seu conteúdo, pois será exatamente o que ele está procurando, pois já pesquisamos tendências na etapa de encontrar o tópico ideal antes mesmo da criação do conteúdo. A única função de ter todo esse trabalho é que esse autor ou influenciador realmente leia seu conteúdo e compartilhe com a audiência dele. E adivinha quem é a audiência dele? Mais autores e influenciadores que tem o poder de compartilhar seu conteúdo com centenas de pessoas dentro da sua área de atuação, e essas pessoas também vão compartilhar com mais dezenas de outros influenciadores tornando assim um conteúdo viral que com certeza irá gerar muito boas referências e backlinks para o seu site.

Agora você deve estar se perguntando: “Mas não é mais fácil pegar todos os artigos sobre marketing social que eu encontrar na busca do Google e criar uma grande lista de blogueiros e influenciadores?

Até poderia dar certo se não fosse por um pequeno detalhe. Aqui você não tem foco algum para convencer esse influenciador a ver e ler o seu conteúdo!

Foco seria pegar um tema específico, e dessa forma você tem assunto com seu autor em questão. Entendam que quanto mais específico for o tema e o artigo relacionado que você encontrou na pesquisa do Google melhor e mais convincente fica para o influenciador que percebe que você não está divulgando para um grupo de e-mails o seu conteúdo e sim para um único e-mail pessoal. O e-mail dele.

Quando for redigir essa mensagem chame o autor pelo nome para passar mais credibilidade e confiança para ele ver que sua mensagem é séria e foi criada especialmente para ele! Essa coisa pessoal e formal passa confiança e enche a bola de qualquer autor que você for abordar via e-mail. Então a regra é clara, quanto mais pessoal suas mensagens maiores serão as chances desse influenciador ler, gostar e compartilhar seu conteúdo com centenas de outros influenciadores.

Infelizmente esse é grande erro na hora fazer a promoção do nosso conteúdo, a falta de foco e relação pessoal e formal com nosso autor. Muitos simplesmente pedem para trocar um backlink pelo outro, mas isso não vale a pena e não vai te trazer os resultados que você espera. No nosso curso de SEO explicamos todo processo de promoção de conteúdo tudo certinho.


Podemos Ajudar Com Alguma Coisa?

Tem Alguma Dúvida Sobre SEO?

Tem Dúvidas Sobre Como Implementar no Seu Negócio?

Nós Podemos Ajudar sem Compromisso Algum!